O novo líder corporativo: 05 dicas de como ser um!

Posted By on maio 8, 2017 | 0 comments


O novo líder corporativo: 05 dicas de como ser um!

O perfil dos gestores e líderes das grandes multinacionais tem sofrido mudanças. Saiba aqui como acompanhar a tendência e não ficar para trás.

Gestão e liderança de pessoas sempre foram pontos muito importantes na discussão de como melhorar os resultados das organizações. Afinal, são eles os responsáveis por direcionar todo o Capital Humano da empresa para o caminho certo. É deles a função de ler o mapa, apontar a direção correta, encorajar os liderados e garantir o sucesso das estratégias.

Assim, este é um assunto que passa por processos de melhoria contínua dentro das empresas, sempre sendo atualizado, sempre trazendo novidades e diretrizes mais eficazes.

E, na crise, torna-se ainda mais fundamental direcionar o olhar para este aspecto tão importante, visando resultados positivos na balança corporativa. Afinal, é o Capital Humano o principal fator responsável pelo desempenho da empresa no ano fiscal. Por isso os colaboradores precisam estar constantemente engajados e sempre alinhados com o propósito da corporação, aumentando as possibilidades de manter as contas no azul.

Então vamos listar 05 pontos de atenção para os líderes atualizarem-se e se manterem em constante melhoria:

1. Equipe treinada é equipe preparada

02

Fonte: Google

Já sabemos que o líder atual nada se parece com aqueles que comandavam as empresas na época dos nossos pais ou avós. O famoso “líder pelo medo” já não tem mais.

Atualmente, o gestor tem uma dinâmica de relacionamento com seus liderados que é muito mais estruturada no exemplo e na figura quase que paterna de cumplicidade. Assim, nada mais propício do que ajudar aqueles que estão na sua equipe a se desenvolverem profissionalmente. Incentive-os a fazerem cursos de atualização, conhecerem novas áreas, participarem de eventos e palestras e lute pelo apoio da empresa no desenvolvimento profissional de seus liderados.

Se a sua empresa não tem uma política de fomento ao desenvolvimento profissional, converse com o RH, demonstre o seu interesse em melhorar o conhecimento técnico da sua equipe e de entregar melhores resultados.

2. A tecnologia é aliada

03

Fonte: Google

Com a revolução tecnológica e o surgimento dos smartphones, muito mudou na nossa rotina, seja ela pessoal, de trabalho ou qualquer outra. Existe, atualmente, um aplicativo específico para qualquer coisa que você possa imaginar e que vai te ajudar a economizar boas horas de trabalho.

O título parece bobo, mas carrega consigo uma verdade: grande parte dos líderes não conhece ou não utiliza boas ferramentas para ajuda-los na gestão.

Existem milhares de plataformas – algumas até mesmo grátis – que automatizam a gestão de pequenos projetos e atividades e facilita o desenvolvimento de todas as ações da equipe.

Elas não só te permitem criar uma maneira mais fácil de acompanhar etapas, mas também é uma grande aliada na hora de fornecer dados para criação de relatórios de desempenho, dossiês de projetos e afins.

E o mundo atual gira em torno de dados! Marketing, Recursos Humanos, Comercial, Logística ou até mesmo Produção, qualquer que seja o departamento corporativo que estamos falando, o gestor tomará a decisão estruturada na análise de dados e de métricas. Então utilize a tecnologia e a internet como suas aliadas para encontrar os dados mais valiosos possíveis para o futuro sustentável da sua empresa.

3. Mantenha os talentos da sua equipe contigo

03

Fonte: Google

A primeira – e talvez mais importante – pergunta que se deve fazer é: eu conheço mesmo o perfil de cada membro da minha equipe? Eu sei quais são seus potenciais, seus pontos de melhoria e suas habilidades mais desenvolvidas?

Parece algo óbvio, mas muitas organizações perde seus talentos por não conseguir reconhecer habilidades e potenciais, deixando-os à margem e desperdiçando possibilidades de crescimento.

Então saiba exatamente quem trabalha na sua equipe, quais são seus perfis profissionais e como você pode extrair o melhor de cada um. Uma ferramenta muito comum para conseguir entender e conhecer as pessoas com quem você trabalha é o assessment, tipo de avaliação voltada para o desenvolvimento organizacional, engajamento, fit do time dentre outras diversas possibilidades.

Segundo Kelly Schmitt, business coach,

Muitas empresas perderam profissionais qualificados em virtude da crise. Enxugaram os quadros e baratearam a mão de obra. Agora é hora de arrumar a casa. E não há outro caminho para isso senão investir nas pessoas, pois pessoas é que dinamizam resultados.

 

banner-ebook

 

4. A comunicação salva vidas (e trabalhos)

4

Fonte: Google

A comunicação constante é um dos principais pontos a ser implementado na criação de novos times. E ela deve ser multidirecional: top-down, side-to-sidedown-top. Resumindo: deve ser 360º. O feedback é, ainda hoje, a ferramenta mais poderosa que um gestor pode ter.

Desenvolva processos e fluxos para permitir uma comunicação fluida entre todos. Saiba que a comunicação clara, simples e direta é importante para manter o engajamento, para criar laços de confiança, tranquilizar os membros da equipe e dar uma dose de animação sempre que necessário.

Uma equipe unida consegue alcançar resultados muito mais positivos e duradouros.

“Uma das maneiras mais efetivas que um líder tem para demonstrar atenção ao colaborador é o processo de feedback.

Enquanto dar e receber feedback pode ser um processo complicado, não há dúvidas sobre o seu valor para a gestão e o desenvolvimento das pessoas”, Daniela Domingues, Gerente de RH da CPFL.

5 – Empodere seus liderados

2-2

Fonte: Google

Cada colaborador é uma peça única e fundamental para manter a máquina corporativa girando em perfeito estado. Cada um deve exercer sua função com maestria para que as outras peças desse quebra-cabeça também consigam encaixar-se.

E a função principal de um líder é garantir resultados, direcionar sua equipe para o caminho certo e criar possibilidades para baratear processos, otimizar fluxos e melhorar as entregas.

Para isso, é extremamente necessário que você crie as possibilidades de cada colaborador exercer a sua função, dando-lhe a autonomia e a responsabilidade necessárias. Um gestor centralizador e autoritário, que não confia na sua equipe, é um líder que não consegue exercer sua função por estar ocupado demais tentando realizar a função de todos os outros membros.

Se você gostou desse texto, pode gostar também deste outro artigo nosso! :)

 

Rafael Oliveira, 31 anos, é formado em Design pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) e MBA em Gestão Empresarial pela FGV. Já trabalhou como diretor de arte e designer freelancer, mas encontrou sua paixão profissional no marketing & comunicação. Atualmente é consultor de marketing digital da Hunter Consulting Group e gosta de falar sobre os mais diversos assuntos ligados ao mundo corporativo: desenvolvimento humano, liderança, marketing, empreendedorismo, gestão, mercado e política.

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *